Colégio Darwin investe em abordagem socioemocional dentro da grade curricular dos alunos

abril 19, 2022
http://colegiodarwin.com.br/2020/wp-content/uploads/2022/04/blog-800x800-px.jpg

Expandir as possibilidades da sala de aula tradicional, fomentar a escuta ativa e fortalecer a compreensão das emoções pessoais e sociais. Essas são algumas das principais características da abordagem socioemocional, que faz parte da grade curricular dos estudantes do Colégio Darwin, presente do Fundamental Anos Finais até o Ensino Médio. Uma vez por semana, os...

Expandir as possibilidades da sala de aula tradicional, fomentar a escuta ativa e fortalecer a compreensão das emoções pessoais e sociais. Essas são algumas das principais características da abordagem socioemocional, que faz parte da grade curricular dos estudantes do Colégio Darwin, presente do Fundamental Anos Finais até o Ensino Médio.

Uma vez por semana, os alunos da escola vão até o Espaço Evolução Charles Darwin e são orientados pelo professor Renoir Melo, responsável por lecionar o conteúdo. “A abordagem socioemocional é diferenciada da que nós estamos acostumados, com aquele formato professor na frente e os alunos predispostos em filas, aguardando o professor falar. A gente traz a ideia do círculo, da arena, da ideia de discutir, de debater, de se ouvir e de se olhar. O socioemocional vem para trazer esse olhar mais vivo, mais humano”, explica o professor.

O material utilizado nas aulas de socioemocional é do Programa Pleno, trabalhado com milhares de alunos pelo Brasil. O programa possui quatro aprendizagens fundamentais, que são: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser. Esse processo de desenvolvimento socioemocional conta um material rico (livros, jogos, plataformas digitais, aplicativos).

Fale com a gente
Rua Ildefonso Albano, 1030, Aldeota
85 3221-2820
Seg a Sex | 8 às 18 horas
Deixe seu e-mail aqui e receba nossas novidades!

    [anr_nocaptcha g-recaptcha-response]

    Colégio Darwin® 2020. Desenvolvido em Wordpress por Jorge Godoy @elpadre_jorge