Playlist FLID 2019

Literatura e música se encontram na FLID 2019 com a playlist criada pelo professor Marcos Blaque especialmente para essa viagem cultural! Compartilhamos um texto super bacana do professor explicando a relação das músicas com a escritora homenageada deste ano pela FLID.

Quer ler o texto ouvindo as músicas? É pra já! A playlist está disponível no Spotify e Deezer: Acesse os links da nossa playlist no Deezer ou Spotify e entre no clima: https://spoti.fi/2XgnRNW e https://bit.ly/2Io2QgV

*

Tudo bem, Darwinianos?! Mais um ano de FLID | Feira Literária Darwin e mais um passeio musical pelos ritmos que farão sucesso em nosso evento! Em 2019, a FLID tem como homenageada principal a escritora Cecília Meireles, que publicou sua primeira obra em 1919 – o livro de poemas “Espectros”.

E para provar que começamos com a mesma qualidade do ano passado, mas com uma cara nova, não começamos com uma música, mas com uma leitura dramática. Surpresos? Cassiano Nunes lê alguns dos principais poemas de Cecília Meireles para nós. Fiquem atentos, viu.

Mas vocês querem música, né? Eu sei, quando eu penso em vocês, coloco logo uma música de Fagner, cantor cearense que está completando 70 anos em 2019. Viva o cancioneiro cearense, povo!

E como ainda somos bem moços e moças, tomamos um avião para o Rio de Janeiro e ouvimos uma canção que é a cara dessa cidade: a terra natal de Cecília Meireles. Porém, a maior obra de Cecília fala mesmo é sobre Minas Gerais e a Inconfidência Mineira. Por isso, temos uma sequência de sons
bem diversificados sobre o movimento, para todos os gostos: Elis Regina, Chico Buarque, Milton Nascimento e Gilberto Gil, terminando no rock da banda Pré-Histórica!

Continuando em Minas, uma das canções que mais representa o país completa 80 anos: “Aquarela do Brasil”, de Ary Barroso! Mas você não está tão otimista assim?  Não desanime, temos uma mensagem importante de alguém que partiu há 30 anos, mas continua dizendo que devemos tentar outra vez: Raul Seixas, o Raulzito, pede mais fé na vida.

Em seguida, para celebrar outra pessoa fantástica, Oswaldo Montenegro canta uma música em homenagem ao outro setentão do ano: Zé Ramalho!
Hum.. Zé Ramalho e Fagner completando 70 anos? O mínimo que poderíamos fazer é colocar algumas canções com os dois cantando juntos logo na sequência!

Mais alguém precisa de homenagens nesta aventura musical? Sim, Paulo Leminski! Depois de 30 anos sem o nosso samurai poeta, mestre dos haicais, temos uma homenagem de Itamar Assumpção e Zélia Duncan, além da filha do poeta cantando em um álbum todo inspirado nele – o nome dela só poderia ser Estrela Leminski!

Quantas faltas para sentir, gente. Senti falta também da Nara. Sim, da Nara, claro. Quem? Nara Leão, pessoal! Vamos fazer assim, vamos colocar duas faixas dela, uma versão da trilha de “O mágico de Oz”, que estreou nos cinemas em 1939, e outra que é a cara dela e da Bossa Nova: “A banda”. Lá em “O mágico de Oz” temos um leão sem coragem, aqui no Brasil temos um leão valente. O nome dele é Lenine e completa 60 anos de muito talento em 2019.

Do leão pernambucano vamos para as selvas de Villa-Lobos, brilhante compositor nacional que nos deixou em 1959. Há muito tempo, em uma galáxia muito distante, John Williams compôs os temas de Star Wars, uma obra cinematográfica que usa como ninguém os ensinamentos de Joseph Campbell em “O herói de mil faces”, obra de mitologia que completa 70 anos de publicação. Dos heróis da mitologia e da galáxia passamos mais uma vez para um herói musical brasileiro do século XX, Raul Seixas nos explica o início, o fim e o meio.

Ufa! Vamos sentar um pouco e ouvir João Cabral de Melo Neto declamar seus próprios versos de “A educação pela pedra”. Oportunidade única já que João nos deixou em 1999. Dando o play de novo, gente! Para continuar na Literatura, vamos de Zé Renato cantando uma música que fala de “O tempo e o vento”, obra do gaúcho Érico Veríssimo.

Ainda num clima literário, Marisa Monte e Arnaldo Antunes cantam com um clima que lembra bastante as obras simbolistas de Cecília, né?  Encaminhando o final da playlist, faço uma metamorfose ambulante. Antes de alugar o Brasil para os estrangeiros, apresentamos Zeca Baleiro, que faz uma brincadeira com a frase mais entoada em 10 de 10 shows no Brasil: Toca Raul!

Sem alugar o Brasil, queremos lhe convidar para dizer... Excelsior! Stan Lee, o criador do Homem-Aranha e diversos heróis da Marvel, também será lembrado na FLID e aqui temos duas músicas bem bacanas. A versão clássica de “Spiderman”, dos Ramones, e “Home”, de Vincent Staples e Richie Kohan, trilha sonora de “O Homem-Aranha no Aranhaverso”, a mais recente produção sobre o teioso!

Dos EUA para um convite tão especial quanto, sentar e pescar ilusões com O Rappa, numa homenagem ao letrista e fundador da banda, Marcelo Yuka – que partiu desta existência agora no começo de 2019. Na sequência, mais O Rappa entoando dessa vez a “Súplica Cearense”, de Nelinho e Gordurinha, um pedido de ajuda para o Nordeste.

Na reta final da playlist, uma série de músicas com Cecília no nome para homenagear a nossa poeta principal da FLID 2019 – o carioca Cícero Rosa Lins e o português Antônio Zambujo, cantando Chico Buarque, dão o tom das canções. E cabe ao grupo Boca Livre encerrar com uma versão musicada de um dos mais famosos poemas da escritora. “Como sabia bem tudo isso E dei-me ao seu destino frágil Fiquei sem poder chorar Quando caí”

Caí e fim. Quer dizer, caí e FLID! Viva a FLID 2019!

1. “Motivo / Explicação / Estrela”, por Cassiano Ricardo;
2. “Canteiros”, por Fagner;
3. “Samba do Avião”, por Roberto Carlos e Caetano Veloso;
4. “Exaltação a Tiradentes”, por Elis Regina;
5. “Tema de ‘Os Inconfidentes’”, por Chico Buarque.
6. “Xica da Silva”, por Milton Nascimento e Gilberto Gil;
7. “Inconfidência Mineira”, por Pré-Histórica;
8. “Aquarela do Brasil”, por Gal Costa;
9. “Tente outra Vez”, por Raul Seixas;
10. “Ramalheando / Admirável Gado Novo”, por Oswaldo Montenegro;
11. “Noturno (Coração Alado)”, por Fagner e Zé Ramalho;
12. “A Terceira Lâmina”, por Fagner e Zé Ramalho
13. “Dor Elegante”, por Itamar Assumpção e Zélia Duncan;

14. “Esta voz está sendo ouvida em Marte”, por Estrela Leminski;
15. “Além do Arco-Íris (Over the Rainbow)”, por Nara Leão;
16. “A Banda”, por Nara Leão;
17. “A Ponte”, por Lenine e Gog;
18. “Saudades das Selvas Brasileiras nº 2”, por Nelson Freire;
19. “Star Wars (Main Theme)”, por John Williams e Orquestra Sinfônica de Londres;
20. “Gita”, por Raul Seixas;
21. “A Educação pela Pedra”, por João Cabral de Melo Neto;
22. “Senhora Dona Bibiana”, por Zé Renato;
23. “Alta Noite”, por Marisa Monte e Arnaldo Antunes;
24. “Metamorfose Ambulante”, por Raul Seixas;
25. “Aluga-se”, por Raul Seixas;
26. “Toca Raul”, por Zeca Baleiro;
27. “Pescador de Ilusões”, por O Rappa;
28. “Súplica Cearense”, por O Rappa;
29. “Spiderman”, por Ramones;
30. “Home”, por Vince Staples e Richie Kohan;
31. “Cecília & os Balões”, por Cícero;
32. “Cecília e a Máquina”, por Cícero e Luiza Mayall;
33. “Cecília”, por António Zambujo;
34. “Epigrama”, por Boca Livre.



Playlist FLID 2019

COLÉGIO DARWIN | EDUCAÇÃO INFANTIL - FUNDAMENTAL - MÉDIO

(85) 3221.2820 - comunicacao@colegiodarwin.com.br

logo
logo